O envelhecimento acarreta mudanças no organismo do indivíduo e traz consigo algumas doenças. Entre as alterações relacionadas à idade, estão as dos cinco sentidos: visão, audição, olfato, paladar e tato.

Há também a perda da comunicação e o desajuste psicossocial, consequente desta, ocorre devido a situações específicas vivenciadas pelo idoso como: aposentadoria, viuvez, perda de amigos, alterações na composição e na dinâmica familiar, mudança de residência, migração e dificuldades funcionais, fatores estes que caracterizam esta etapa da vida.

O envelhecimento poderá ser tranquilo ou não, de acordo com a capacidade funcional que a pessoa conseguir manter ao chegar à terceira idade.

Por isso, atitudes preventivas, como alimentação e atividades físicas, entre outras, são importantes.

As doenças mais letais são as cardiovasculares, entre elas a hipertensão e o diabetes, que podem evoluir para a insuficiência cardíaca. Segundo dados de 1997 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as doenças do aparelho circulatório são responsáveis por 39,4% dos óbitos masculinos e 36,3% dos femininos entre os idosos. Outro problema frequente é a depressão.

De um quarto a três terços da população idosa mundial apresenta a doença. A depressão pode tornar o idoso dependente de outras pessoas e incapacitá-lo para a realização de suas atividades diárias.

 

Doenças comuns nos idosos:

  • Derrames (acidente vascular cerebral); Pneumonia; Câncer; Enfisema e bronquite crônica; Infecção urinária; Osteoporose; Diabetes; Osteartrose; Mal de Parkinson; Alzheimer.

Fonte: https://hob.med.br/quais-sao-as-doencas-mais-comuns-no-idoso/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *