Vocês pediram e elas voltaram…. Dona Val e Nathy , mais uma vez, para vocês! 

No post anterior, que vocês podem ver aqui: https://grapiblog.wordpress.com/2017/04/27/viver-e-para-ja/  , vimos como para a Dona Val, a presença da Natalia era algo primordial para seu dia – a – dia! E resolvemos ver como a Dona Val interfere de uma maneira positiva nos dias de Natalia.

Vale lembrar que, as visitas começaram de maneira espontânea, e hoje segue um rumo muito intimo, as duas trocam mensagem, ligações e tem um elo muito forte.  Então antes de pensarem que é algo remunerado, ou algum projeto social, vale dizer que é só AMOR.

Resolvemos fazer uma entrevista, assim, poderíamos aprender um pouquinho mais sobre como a troca de amor, independente da diferença de idade, faz bem para saúde, para o bem estar e para alma…

1) Quando foi que você se interessou em ajudar pessoas na terceira idade?Sempre tive uma vida muito dura desde pequena. Como todos nós temos em termos de relação humana. Busquei logo cedo uma fórmula de como não ser apenas mais uma à alimentar essa dureza entre os humanos e buscar soluções alternativas para lutar contra isso. A minha maior arma é o AMOR. Após estudar sozinha a psicologia da vida com as minhas experiências difíceis, comecei com quando somos crianças, passei pela adolescência, adulto até que cheguei a terceira idade. Somos todos carentes na vida porque a humanidade cada vez mais está sendo programada a viverem egoístas e sozinhos. Nesse procedimento quem mais sofre é a terceira idade que já explorou a vida e hoje a cada dia, sua saúde limita a viver como vivia. É como você enxergar a vida toda e de repente ficar cego. Ou andar a vida toda e de repente ficar aleijado. A terceira idade está sendo ignorados e esquecida pelos familiares. Onde o risco da depressão se torna enorme. Quando na verdade eles merecem caminhar pelos últimos momentos da vida com muita alegria e amor por tudo que já fizeram em suas vidas. Me deixaria muito feliz que eles possam ir, sorrindo e não depressivos.

2) Como foi o seu primeiro contato com a Dona Val? Fui visitar ela na casa dela. E no primeiro contato no olhar, vi ela abrindo um sorriso largo e SINCERO. Foi aí que já sabia que iríamos nos dar muito bem. Ela tinha dificuldades de resolver a conta dela com a NET. A ajudei enquanto ela fazia um belo café. Me mostrou fotos, falou das suas viagens e das coisas que mais gostava. Foi quando percebi que sua maior carência era ter alguém para conversar e que sentia muitas saudades da sua autonomia de poder fazer suas coisas sem limitações.

3) O que mudou na sua vida depois de suas visitas periódicas a casa de Dona Val? Muita coisa! Ao você ajudar o próximo tudo em sua volta muda, principalmente dentro de você. Tenho recebido muitos sinais do universo que ainda estou processando. Como por exemplo a Grapi ter surgido na minha vida de repente logo depois da Dona Val. Ter quase aceito um trabalho e hoje estamos caminhando aos poucos e com calma. Jamais imaginária que uma empresa como a Grapi poderia surgir tão próximo na minha vida. Para mim, foi a energia da Dona Val que aproximou esse contato. Mas o principal é a sensação de ver o outro feliz. Sempre que chego na casa da Dona Val ela está deprimida porque passa muito tempo sozinha com pensamentos de solidão que torna negativas. Mas sempre que vou embora, ela está sorrindo, leve e feliz. Isso me traz mais forças para o que eu achava impossível nos dias de hoje com o caos no mundo, é possível.

4) Quando você deixa de ir lá, o que sente ? Sinto que logo tenho que ir. A gente mantém contato sempre. Mandamos mensagens e ligamos uma para a outra. Assim ela sabe que ela pode me chamar quando quiser para conversar. O importante para eles é saber que eles tem alguém no meio de toda sua solidão.

5) Qual foi a lição mais preciosa que ela te ensinou? Ela me ajudou a confirmar o que mundo tinha dificuldades em me confirmar. Que o AMOR de verdade, é simples porém muito poderoso. Que ele pode curar muito mais que remédios psiquiátricos.

6) Começar a frequentar a casa da Dona Val, fez sua visão sobre a terceira idade mudar? Não, sempre senti que a terceira idade é o momento de viver a infância mais uma vez porém já madura. A Dona Val só me mostra que isso é verdade. Temos muitos planos de fazer muitas coisas como por exemplo sair para uma “balada” dançar. Só estamos esperando uma oportunidade para fazer isso entre outras coisas de criança e adolescente.

7) Como você acha que o seu carinho com a Dona Val ajudou ela? Acho que a alma atrofiada, solitária e preocupada, passou a ter mais cor. Ao mesmo tempo que ela tem o momento negativo de desabafar, ela tem o momento que ela ri alto das minhas bobeiras, tem o momento de amor com abraços, carinhos, em geral afeto. Não adianta você ir ajudar e ser seca e dura. É necessário fazer tudo com amor de verdade. A terceira idade são muito sábios e sensitivos. A energia que você coloca , você vê claramente neles. Se você faz algo forçado, como vejo famílias em restaurantes etc. Eles dificilmente vão sorrir. Mas se você fizer com Amor de verdade, você verá a alma deles sorrir.

Depois de lermos a entrevista, todos ficamos bem tocados em ver o progresso de Dona Val desde o começo de suas visitas, até hoje, e sentimos que além da medicina comum, o afeto pode afetar muito como vivemos, nossa saúde, nosso bem estar… e tudo de uma maneira muito positiva!  É aquela história, fazer o bem sem olhar a quem 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *